...


Eu vou me acumulando, me acumulando, me acumulando. Até que não caibo em mim e estouro em palavras. (Clarice Lispector)

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Tempo tempo


Porque não temos o controle sobre o tempo que insiste em criar caminhos indesejáveis em nossa pele. O que antes era território inabitado, agora mais parece superlotação. Tudo bem que ficam as experiências e tal, mas não é tão simples assim. Os flashes já não conseguem capturar a melhor faxada, o espelho que nunca foi melhor amigo, hoje faz questão de delatar todas as imperfeições. Tudo bem, se tem que ser assim o que se há de fazer. Não é questão de se conformar ou não, pois na verdade nem há tantas opções assim. A questão é que hoje acordei com uma certa nostalgia, lembranças de um tempo onde tudo me era possível, não por eu realmente poder, mas porque eu acreditava que o universo conspirava à meu favor. Hoje percebo que o tempo escorreu pelos meus dedos e por mais que eu tenha feito quase tudo o que queria, ainda foi pouco tempo.
Postar um comentário