...


Eu vou me acumulando, me acumulando, me acumulando. Até que não caibo em mim e estouro em palavras. (Clarice Lispector)

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Eu conheço uma Sociopata

 
Desprovidos de qualquer sentimento de remorso e de valores morais, recorrem da mentira, calúnia, insultos, sedução, intimidação, ameaças e violência, para verem satisfeitas as suas vontades.
- São incapazes de ser fieis, ou leais e muito menos de amar alguém, inclusivamente os filhos, colocando-os muitas vezes em risco.
- Não se compadecem pelo choro alheio. As manifestações emocionais das outras pessoas são-lhe completamente indiferentes. Se for preciso ainda agridem e humilham mais a pessoa que está em sofrimento, para que esta se cale, alegando precisar de silêncio.
- São covardes, porque “atacam” sobretudo aqueles que dificilmente poderão reagir às suas agressões. Tendem a culpar as suas vítimas dos seus actos mais insanos, chamando-lhes loucas, estúpidas e outras ofensas, sublinhando que são merecedoras de todo o sofrimento que lhes incute.
- Revelam uma necessidade doentia de manipular tudo e todos. Os ciúmes doentios são uma constante. Exigem controlo absoluto do dinheiro, horários, etc. Quando perdem o comando das situações, reagem violentamente, com ataques de fúria que se podem traduzir em agressões.
- Nos relacionamentos, (mesmo entre pais e filhos), perdem a calma com facilidade, passando rapidamente da  serenidade para a gritaria, com acessos de grande raiva. Dão pontapés e murros nas paredes, mobílias, e, eventualmente nas pessoas que os rodeiam.
- Não sentem qualquer arrependimento dos actos que comentem, mas podem fingir na perfeição uma crise de remorsos, se entenderem que isso lhes pode trazer algum benefício pessoal.
- Socialmente são gentis, calmos, por norma bem vistos pela comunidade… muitos só se apercebem do seu lado perverso, momentos antes de morrerem nas mãos do sociopata.

fonte
http://www.amar-ela.com/sociopatia


Postar um comentário