...


Eu vou me acumulando, me acumulando, me acumulando. Até que não caibo em mim e estouro em palavras. (Clarice Lispector)

terça-feira, 19 de agosto de 2014

Eu sei...

Sabe quando a tristeza parece maior que a alma,
e quando você gosta dela e a tem como melhor companhia?
sabe quando chorar parece a coisa mais gostosa do mundo,
e quando as lágrimas contidas por anos a fio, finalmente vem a tona?
Sabe quando você teima em viver tudo que te impediram por uma vida inteira,
e quando você sente que o tempo que tem é pequeno pra viver tudo?
Sabe quando todas as histórias vividas até ali parecem sem sentido,
e você tem medo de que seja tarde demais pra viver algo com sentido?
Sabe quando as palavras lhe vem até a garganta,
e você se sente obrigado a engoli-las de volta?
Sabe quando a vida lhe parece tão dura,
que você enfim olha pro mar revolto em dia de tempestade e ele lhe parece calmo?
Sabe quando acordar, dormir, estudar, comer, trabalhar, parecem não ter sentido,
mas você continua fingindo que tem e vai lá e faz?
Sabe quando você sente que o corpo está prestes a transbordar e uma gota a mais poderia ser fatal,
mas mesmo assim você faz questão que essa gota caia dentro dele?
Sabe quando te abate aquela vontade de dormir, talvez por um ou dois anos,
mas a única opção que você tem é ficar acordada ou dormir para sempre?

eu sei.

Obs: Não foi eu quem escreveu, mas poderia ter sido, é como me sinto hoje.
Postar um comentário