...


Eu vou me acumulando, me acumulando, me acumulando. Até que não caibo em mim e estouro em palavras. (Clarice Lispector)

quinta-feira, 8 de abril de 2010

Liberdade

Sou pássaro, não preso na gaiola, sou pássaro livre que planeja dar vôos mais altos do que a sua vista alcança.
Não tentes me segurar, eu escapulo pelo vão dos teus dedos.
Mais inteligente é você me acarinhar em suas mãos, quem sabe assim fico.
Por vontade própria, sem grades.
Só a imagem da grade já me aterroriza.
Ela pode até existir, mas aberta, sempre aberta.
Se por zêlo quizer me guardar nela, tudo bem, mas sempre aberta.
E se me der um cobertor bem quentinho, um afago, um carinho, posso até ficar ali bem quietinha, sem querer ir a outro lugar.
Mas não me impessa de sair, de voar mesmo que sem sair do chão.
Necessito de LIBERDADE no sentido fiel da palavra,porém, tbem preciso muito de alguem que me cuide e me freie até, porque não.
Só não tranque a porta. Não tranque a porta.
Postar um comentário