...


Eu vou me acumulando, me acumulando, me acumulando. Até que não caibo em mim e estouro em palavras. (Clarice Lispector)

terça-feira, 13 de abril de 2010

Envelheço na cidade

Mais um ano que se passa, e cá estou eu prestes a completar mais um ano de vida.
Acho que tenho mesmo é que comemorar, afinal são 35 anos bem vividos, bem aprendidos, bem amados, bem chorados, bem intensos.
To numa fase boa, menos anciosa talvez. Confesso que chegar aos 35 está sendo "menos pior" do que quando cheguei aos 30, durante os últimos cinco anos tenho aprendido a lidar com coisas que antes nem pensava, embora muitas vezes não seja fácil.
O tempo é um troço muito estranho, ele é bom e mau, talvez até na mesma proporção. Tem coisas que a gente só aprende com o tempo, por exemplo, a compreender melhor as pessoas, a se colocar no lugar do outro, entendemos que o que não pode nos matar só nos fortalece, que tudo nessa vida tem um propósito e que aquela III lei de Newton (ação e reação) é verdadeira, mas isso a gente não aprendeu nas aulas de física.
Talvez o maior desejo de nós seres humanos, fosse conseguir aprender essas coisas todas sem tanto sofrimento, mas até isso a gente entende com o tempo, pois se não fosse assim, não entenderíamos.
É assim que vejo, é assim que entendo, é assim que aprendo, é assim que tento compreender o que é muitas vezes incompreensível.
Taí a beleza da vida, essa dádiva maravilhosa que é viver, presente de Deus pra nós a cada sol que nasce e ele sempre nasce, mesmo que seja após dias de chuva e tempestade, ele sempre nasce.
Graças a Deus por tudo!
Postar um comentário