...


Eu vou me acumulando, me acumulando, me acumulando. Até que não caibo em mim e estouro em palavras. (Clarice Lispector)

sábado, 23 de janeiro de 2010

Esperança


Sei que não vou obter a resposta que quero
Mas eu preciso perguntar
O que você faz aqui?
De todas as pessoas possíveis.... Logo você?
Quer dizer... Eu sempre quis você aqui por perto
Mas seilá... Não é como se isso importasse agora
Ou melhor,não é como se isso importasse totalmente
Estilos e modos de vida extremamente diferentes
Seguindo em frente
Você sabe do que eu estou falando
Na minha cabeça eu juro que você sabe tudo
Mas na verdade eu sei que você não sabe de nada
Pois não há o que saber se não o que nós já sabemos
Essa merda não dá indicios de mudança
E agora eu estou começando a me preocupar
Oscilando entre a falta e o excesso de esperança
Estou chegando em um ponto onde as palavras já não dizem mais tudo que quero falar
Não suprem minha necessidade de expressar
Apesar de abragentes,as vezes elas limitam
Mas preciso soltar. Deixar sair tudo de vez
Não sei pra que,não sei pra quem
Necessariamente pra ninguem
Conexão, mundo e imaginação
Por isso as frases intermináveis de rimas não tão óbvias
Imagino um sorriso do outro lado da tela
Espero que seja você
Afinal,você é ela

(Rodrigo Mafra)

Postar um comentário