...


Eu vou me acumulando, me acumulando, me acumulando. Até que não caibo em mim e estouro em palavras. (Clarice Lispector)

quarta-feira, 3 de junho de 2015

Turbilhão


Tento escrever para colocar em ordem meus pensamentos tão atordoados.
No entanto, me frusto nessa empreitada devido a impossibilidade de organizar pensamentos tão autônomos e revoltados.
Quisera eu entender o que se passa nessa mente barulhenta.
Pedaços, retalhos, recortes que vem e vão a todo momento tentando se juntar mas nunca fazem sentido.
Pensamentos embaralhados, misto de sentimentos, turbilhão.
Como esperar que alguém entenda se nem mesmo eu consigo?
Talvez, melhor fosse, privar-me da companhia de todos ou melhor, poupá-los desse enfadonho.
Então, serei sempre assim: Eu e meus pensamentos traidores.
Não sei se essa foi uma pergunta ou uma afirmação, tudo é tão amplo que foge ao meu entendimento.



Postar um comentário