...


Eu vou me acumulando, me acumulando, me acumulando. Até que não caibo em mim e estouro em palavras. (Clarice Lispector)

segunda-feira, 2 de julho de 2012

O primeiro bilhete


Se tu me amas,
Não me ames baixinho.
Quero que grites de cima dos telhados,
Atormentando os passarinhos!
Perturba-me dia após dia
Com o excesso de tua presença!
Se me queres, enfim,
Tem que ser um delírio
E tem que ser agora, amada.
Porque se a vida é breve
E o amor mais breve ainda,
É preciso amar olhando-se nos olhos...
Sem deixar bilhetes...

Mario Quintana
Postar um comentário