...


Eu vou me acumulando, me acumulando, me acumulando. Até que não caibo em mim e estouro em palavras. (Clarice Lispector)

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Seguindo em frente


Ela porém, não sabia mais como lidar com aquilo tudo. Ela que sempre acostumada a ter tudo o que sempre quiz, não porque os outros a mimavam, mas porque ela corria atrás de seus objetivos, mesmo que nem sempre da melhor maneira. Agora, tudo o que podia fazer era tentar equilibrar-se entre o tudo e o nada. Não queria, mas estava perdendo as boas lembranças, tudo parecia ter se perdido em algum momento em que ela não sabia precisar. Talvez tenha se cansado de tentar ser normal, de tentar mudar o que não podia ser mudado. Mas ainda não perdera a esperança e nem aquele inconformísmo que já lhe era intrínseco. E por isso seguia em frente, não por ser forte, mas sim por saber que essa era a única opção que tinha, ser forte.
Postar um comentário