...


Eu vou me acumulando, me acumulando, me acumulando. Até que não caibo em mim e estouro em palavras. (Clarice Lispector)

sexta-feira, 16 de julho de 2010

A quem possa interessar

Há tanto que eu queria lhe falar, mas tudo tem ficado muito confuso, você cada vez mais me alcançando menos e distanciando mais, talvez se houvesse tempo pra esclarecer algumas coisas ou se eu pudesse dizer algo que pudesse mudar tudo isso e trazer de volta aqueles dias felizes que vivi. Talvez isso me faria sentir melhor ou quem sabe esse aperto que sinto quando acordo no meio da noite e olho pro lado e não te vejo pudesse passar. Mas parece que não é mais possível. Não pense que digo isso porque é assim que quero, pelo contrário, mas se eu disser isso tudo, vou estar indo contra o que acredito, vou estar apostando todas as minhas fichas num jogo que talvez ja esteja perdido. Quem sabe você esteja certo e eu esteja aqui só dizendo essas babozeiras em forma de desabafo, já que como você mesmo diz, eu nem tenho amigos. Talvez nem seja amor mesmo, talvez eu ame a pessoa que eu sou quando te tenho por perto, o amor é mais, o amor compreende, e o amor só ama de verdade aquilo que o completa.  Talvez eu ame apenas a idéia que tenho de você e isso não é você, é o que eu queria que você fosse e a soma dessas perspectivas não condiz com o real, então me resta apenas continuar sendo o que sou.
Se eu pudesse eu te diria pra me amar e me querer com tudo o que eu tenho de bom e de ruim, com  todas contradições e pequeninas coisas que muitas vezes você nem considera correto. Poderia pedir-te pra entender que sou como um gato, variável, inconstânte, mas sempre honesto: uma vez que se sabe lidar com ele se tem garantia de carinho e apego eterno. Caso contrário, arranhões e comportamento arredio são inevitáveis e prepare-se para me ver fugir ou te ignorar. Bichos selvagens são imprevisíveis.
O fato é que eu não posso te pedir nada, já que com isso eu teria que aceitar essas mesmas caracteríscas que há em você e entendo que a dificuldade em aceitar é recíproca. Então, não tendo outra alternativa, é mais sensato cada um seguir seu caminho em busca daquela felicidade que eu nem sei se existe.
Postar um comentário